Relatório 2006: Controlo nacional de resíduos de pesticidas em produtos de origem vegetal

_Esta é daquelas em que tem que se rir para não chorar...

_Foi publicado hoje, 19 de Fevereiro, o relatório sobre o a presença de pesticidas nos vegetais à venda para consumo humano. Podem aceder ao documento aqui: [http://www.dgadr.pt/]

_Porque, passados 2 anos, todos nós vamos ficar felizes e contentes de saber que bananas, espinafres e outras coisas foram detectadas com níveis acima do permitido destas substãncias. Para referência, em Inglaterra é publicado um relatório similar exactamente nesta altura mas respeitante ao ano anterior. E não tem tabelas de Excell onde em vez de números aparecem coisas tipo «#VALOR!», ou casas por preencher. E as tabelas vêm em inglês, mas é porque lá essa é a primeira língua do país. Aqui não é.... mas as tabelas também vêm em inglês! Respeitando a ordem das coisas, o mirandês não devia ter ficado à frente?

_Correndo o risco de não exprimir correctamente o que penso em relação a isto (cocó), acho que um órgão governamental devia ter vergonha em publicar uma coisa nestes termos. Até apostava como foi feito pelos mesmos informáticos que trataram do concurso de Professores há uns anos atrás. E aproveitava para avisar os responsáveis pela elaboração deste relatório que qualquer bolseiro da FCT posto a fazer isto durante 2006 tinha os resultados prontinhos em Fevereiro de 2007 em vez de Fevereiro de 2008, mesmo sem Segurança Social e férias. É que as bolsas de 2 anos são raras. Por isso aconselho os meus colegas biólogos e afins a ir pedir emprego à ASAE, a responsável por esta monitorização. Sempre ficam mais bem entregues.
Fica aqui um extracto do documento:

«A informação inclui o número total de amostras analisadas, a sua origem (nacional ou estrangeira), números e percentagens de amostras que não acusaram a presença de quaisquer resíduos, que apresentaram resíduos em conformidade com os respectivos limites máximos de resíduos (LMR), nacionais e comunitários, e que excederam aqueles limites.
[...]
Apreciando as Tabelas B e C, pode concluir-se que os produtos agrícolas nos quais ocorreram infracções e os respectivos números foram os seguintes: bananas (16 infracções em 93 amostras analisadas), espinafre (3 infracções em 31 amostras), uvas (6 infracções em 72 amostras), cenouras (2 infracções em 26 amostras); morangos (2 infracções em 34 amostras), beringela (1 infracção em 29 amostras), alface (1 infracção em 47 amostras), pimento (1 infracção em 65 amostras)

3 comentários:

Manuel Rocha disse...

Olá Rita,

Obrigado pela dica.
Por deficiência minha ( seguramente ) não consigo abrir o link que me deixa...:((

Sempre que necessitar de algo, será sempre um gosto "recebé-la" em quintadacorte@gmail.com ( pensava eu que chegava lá a partir do blog...sou mesmo um "erro" informático...:)))

gomesh disse...

Um post muito interessante... realmente aqui (Inglaterra) esses relatorios sao correntes... mas nao quer dizer que provalvelmente 80% da populacao nao ligue nenhuma...
Bem opinado de qualquer forma!
Sera que as pessoas vao comecar realmente a pensar nestas coisas...

Irina disse...

olá verduxa. tb já não vinha aki há algum tempo. gostei especialmente da categoria de artigos etiquetados com as razões por que se inventou o taco de basebol. deveria ser universalmente adoptada como keyword.
olha lá, além de ires à minha hortelã, deste espreitadela na couve? é q lá é q tão a maior parte das notícias. grosse bjufas ;)