100% broncos




Na 2ª feira fiz seguir a mensagem abaixo para a equipa da SIC Grande Reportagem, para a Dr.ª Isabel do Carmo, chefe do serviço de Endocrinologia do Hospital de Stª Maria e para a Associação Vegetariana Portuguesa. Mais tarde acrescentei-lhe uma adenda e partilhei-a também com as Associações AIMAL, Pelos Animais e Centro Vegetariano. A quem interessar...:


-----------------------------------------------------------------


Subject: Crítica ao programa Grande Reportagem 100% Vegetal


Exm.ªs Sr.s,


Escrevo-vos na qualidade de Bióloga, e bastante desagradada com o que vi na Grande Reportagem 100% Vegetal, ontem, Domingo dia 13 de Janeiro. A médica nutricionista que acompanhou o percurso do jornalista prestou um serviço de desinformação que, saído da boca de um representante da classe médica no horário nobre, contribuiu para convencer ainda mais a sociedade portuguesa a não ter uma alimentação variada.
Tendo visto o programa com atenção, fiquei com a clara sensação que a informação foi apresentada de maneira tendenciosa.
Os resultados das análises apresentados no final do programa referiam-se a níveis de nutrientes como a vitamina B12, o Ferro e o Zinco. Não foi feito nenhum exame ao Cálcio, que tem tendência a ser maior numa dieta vegetariana devido ao aumento de ingestão de vegetaisde folha verde que, com excepção dos espinafres, são os alimentos com maior quantidade de Cálcio biodisponível. Sendo crença comum que o Cálcio é um nutriente muito importante, a não inclusão de análises ao Cálcio no programa vegetariano parece-me tendenciosa. A apresentação em particular dos níveis de nutrientes que desceram e não dos parâmetros que melhoraram (com excepção do colesterol) também foi tendenciosa: não é preciso ser médico para pegar na folha das últimas análises que fizémos e ver que os parâmetros que são normalmente usados como indicadores do nosso estadode saúde não foram mencionados (passo a citar: tipos de eritrócitos, tipos de linfócitos que caracterizam o sistema imunitário, triglicéridos, análise bioquímica e colorimétrica da urina).
Além disso, tenho a apontar que como nutricionista, a médica escolhida para o acompanhamento devia estar informada de que mandar analisar os níveis de B12 só indica quanta B12 ingerimos nos dias anteriores e não o estado do nosso corpo em relação a esse nutriente: o nosso fígado tem capacidade de armazenar vitamina B12 em quantidades que dão para nos sustentar vários anos, e os parâmetros que devem ser mandados analisar para avaliar se temos carência de B12 são os que caracterizam o estado do fígado o tamanho e a velocidade de sedimentação das hemácias e dos neutrófilos (um tipo de glóbulos brancos), que na faltade B12 são produzidos com um tamanho anormalmente grande e geram uma doença chamada anemia megaloblástica. Outro método ainda mais fiável de detectar a falta de vitamina B12 no organismo é a análise aos parâmetros do fígado: dosagem de ácido metilmalónico (MMA) e homocisteína (Hcy), enzimas do fígado que dependem directamente da B12. Níveis baixos de B12 no sangue podem simplesmente significar que bebemos muita água e ela já saiu sob a forma de urina.

[ADENDA: no site criado especialmente para o programa, onde estão parãmetros mais detalhados das análises, acabei por descobrir que o nível de homocisteína do jornalista estava melhor depois da experiência vegetariana, indicando que o seu fígado estava em melhores condições em relação à B12 e não tinha carência deste nutriente mas estava até mais bem aprovisionado. Não sendo mentira que passado dois meses o jornalista tinha menos B12 no sangue, é mentira que ele tivesse descido o seu nível nutricional de B12 conforme se quis dar a entender].

Da mesma maneira, para avaliar se há carência de Ferro manda-se analisar o nível de hemácias (glóbulos vermelhos) e fazer uma prova deesforço que deve ser comparada com uma prova de esforço feita antes do início do regime vegetariano. A falta de Ferro provocaria uma menor capacidade de fixação de oxigénio pelas hemácias e uma performance muito inferior na prova de esforço. Apesar destes parâmetros não terem sido mencionados, como nutricionista, a médica que participou na Grande Reportagem devia ter explicado ao jornalista-cobaia que basta incluir beterraba na dieta para que os níveis de Ferro se mantenham óptimos.
[ADENDA: se estivessem assim tão mal em relação ao Ferro os vegetarianos não podiam dar sangue, e eu sei de vários que o fazem e que foram informados pelos próprios enfermeiros que recolhem o sangue que basta ingerir beterraba para ter níveis 'normais' de Ferro e ácido fólico e poder ser dador.]

Espero que tenham em conta a minha opinião e que não surjam mais reportagens que, apesar de apresentadas cheias de boas intenções,depois revelam-se destinadas a justificar preconceitos já existentes.


Sem mais de momento,
Ana Rita Varela

Bióloga

Vegetariana desde Setembro de 1997, e com análises dentro dos parâmetros considerados "normais"


(e pronta para 50 kms de bicicleta em qualquer altura do dia)

3 comentários:

Manuel Rocha disse...

Muito bem !

A Senhora em causa especializou-se em "resistência politica activa", é natural que não tenha tido vagar para se actualizar...::))

Vejo que ainda não conseguiu começar a ler o tal selo....::))

João Miguel C. G. Vaz disse...

Acrescento,outro muito bem.
Não seria bom unir esforços e enviar uma carta comun à Visão, SIc e à Dra. Isabel do Carmo ?
Eu alinho.

zeca disse...

Eheheheheheh... MAIS NADA!
Gostei do que li!
Vi essa reportagem e na altura também fiquei com a sensação de estar a assistir a algo tendencioso. Bem...também sou vegetariana, também sou dadora, e apesar de desconhecer alguns pormenores aqui referidos (relacionados com a leitura das vitaminas, blá, blá...) sei por experiência própria que me sinto perfeitamente bem. Convém salientar que o motivo de optar por regime alimentar vegetariano nada tem a haver com a saúde mas antes com o facto de achar que njão necessitamos de matar para comer. Os animais têm o mesmo direito à Vida do que os Humanos!
Bem, mas cada um é livre de escolher a roupa com que quer vestir a sua vida. Eu cá como para viver e não vivo para... morrer!eheheheheheh
VIVA TU, VIVA EU, VIVA TODOS OS SERES QUE EXISTEM NESTE PLANETA... E NOUTROS PLANETAS, NOUTRAS GALÁXIAS!

UM LINDO E IMENSO CÉU AZUL PARA TI... e para quem tu mais quiseres