Ambientalista?!? Não obrigado!

...O movimento ambientalista e o movimento de defesa dos animais (geralmente associados porque quem faz parte de um está também no outro) costumam ser atribuídos aos "maluquinhos", "idealistas", etc. Não é igual em todos os países, mas em Portugal é fácil encontrar essa atitude.

Infelizmente nestes movimentos existem também "radicais" que tentam impôr ideias com argumentos cientificamente falsos, e que só provocam atraso no avanço da ciência. Por causa disto ninguém que queira ter credibilidade entre os colegas cientistas se atreve a ter uma posição pública nestas causas.

Felizmente, nem tudo são radicais. Nas minhas andanças pela Europa, tenho encontrado muitos colegas que, com malucos ambientalistas à solta ou não, assinam por baixo do que acreditam sem medo e até têm paciência quando apanham um radical para o sentar num café e explicar-lhe que as coisas não são assim tão lineares, é injustificável usar violência seja para o que for, mas sim, é possível chegar lá racionalmente. Até porque a razão, só por si, está do nosso lado. O bom senso também.

São cada vez mais os que não não desdenham da causa ambientalista nem do respeito pelos animais, que estão intimamente ligadas porque fazem ambas parte da consciência social que é necessária para viver com mais parcimónia, quer entre seres humanos quer com o resto do planeta.

óbvio que quem consegue ser tão irracional a ponto de negar a si próprio que os animais sofrem, não deve ser propriamente um mestre do insight no que diz respeito a outros aspectos da vida, como o ambientalismo e os direitos humanos.)

E com o passar do tempo somos cada vez mais, aqueles que pensam pela própria cabeça e são activamente aquilo em que acreditam, o que é bem melhor do que pensar pelos preconceitos culturais dos outros e ser aquilo que "parece bem".

(e como já escrevi uma vez, não é por sermos ambientalistas ou amigos dos animais que deixámos de ir longe).

9 comentários:

sara disse...

Ainda nunca tinha comentado nada no teu blog apesar de ser uma fã, portanto aqui vai... tens toda a razão ainda há dias discuti com uma colega da animal pois tem atitudes radicais demais o que faz com que o apelo para a defesa dos animais diminua.. insistia cmg q n devemos usar a la das ovelhas enm ensinar as crianças q as camisolas vem d la.. extremista demais dps qd é preciso ser levada a serio ja ninguem lhe liga..

rokinha disse...

Depois que li o artigo fez me pensar um bocadinho naquilo k sou, pk levo isto do ambiente mt serio de mais... ja cheguei a ter discussões mt feias com amigos pk, ou deitaram lixo para o chão ou pk diziam k as touradas eram engraxadas e eu passava me completamente...
Eu axo k os radicais são assim pk não vem nada a ser feito, n vem nada a mudar e ficam frustrados... eu digo isto pk a mim acontece me exatamente o msm!


ja agora adorei este blog, tem artigos interessantes.

Rita disse...

ola rokinha
concordo perfeitamente contigo... é tão frustrante não ver nada a ser feito que às vezes as pessoas perdem a razão. não é desculpável, mas é importante compreender isso para se chegar a uma resolução do problema, quer por parte dos "radicais" quer por parte dos do lado oposto.
para mim é igualmente frustrante ver quem tem formação e autoridade para falar enfiar a cabeça na areia só para se armar em intelectual.
beijinhos e aparece******

ps: as touradas são engraçadas em marte, bem longe daqui.

Avusa disse...

Acho que a questão aqui é o exemplo.
Como se combate a guerra? com mais guerra?
Parece-me que as atitues radicais não nos levam a nada. Mostram frustração e incapacidade. Não me parece que seja esse o caminho.
É importante agir mas pelo caminho da paz, do amor e da compaixão. Só assim poderemos fazer a diferença.

Temos que dar o exemplo!

CarpeDiemBeHappy disse...

Gostei muito deste teu post. Concordo contigo na íntegra.

Tenho uma amiga que é ambientalista e foi por a conhecer à alguns anos atrás que mudei a minha opinião em relação a muita coisa!
Deveriamos todos nos preocupar por manter o nosso ambiente puro passando também , claro, pelo respeito pelos animais.

Beijinhos

P.S. Já cá estive ontem, esta é a minha 3ª tentativa para deixar o comentário, vamos ver se é desta!:)

solquartocrescente disse...

Tal como O João comentou não é guerra que se reduz a guerra. É com paz.
Cada um é livre de seguir o seu caminho, seja o de ser extremista, seja o de matar, mesmo que isso seja genuinamente negativo e anti-natural.

Um dia de qualquer modo, quando a humanidade for mais evoluída, não haverá radicalismos, porque provavelmente nem camisolas de lã vão existir, tal será a consciência de respeito pela vida que a humanidade terá.

Até lá, náo vejo problema em usar as minhas antigas camisolas de lã (porque para quê deitá-las ao lixo), mas recuso-me a comprar camisolas novas de lã, pelo motivo de ser de origem animal. Mas respeito quem o queira fazer porque também não vejo problema nisso. Mas eu se tenho o poder de escolher, escolho preferencialmente materiais vegetais.

O ambiente salva-se com bom-senso e clareza de alma.

al cardoso disse...

Eu tambem defendo o ambiente e a natureza, mas e ha sempre um mas, nao vejo nada errado em usar camisolas de la por exemplo sempre e quando a la seja retirada do animal sem lhe causar dor, da mesma forma que podemos cortar o nosso proprio cabelo ou arranca-lo pela raiz.
Ja agora e os vegetais nao teram vida tambem?

Rita disse...

al cardoso: usar esse tipo de argumento ofende a propria pessoa que o usa...

zeca disse...

Olá minha querida ritinha!

Agora por motivos pessoais ando bastante fugida destas bandas. Mas isso não significa que não continue a manter no meu coração todas aquelas "Luzinhas" que tornam este Mundo mais claro (e as outras também, é claro!). Não me esqueço de ti. Aliás, lembro-me muitas vezes de ti. Aí, nesse país, a investires todo o teu tempo em algo que gostas e acreditas, longe daqueles que preenchem o teu coração...

Deixo-te ficar um dos presente que eu mais gosto de oferecer:

UM IMENSO CÉU AZUL...