TUDO vale a pena

Eu, a Irina e a nossa amiga de sempre, Licínia, no dia em que concorremos para a Universidade, em 1999 (eixxx há quanto tempo!)..

....Hoje a minha amiga Irina partiu rumo a Bruxelas, onde vai trabalhar na qualidade de Bióloga para a IFOAM . A Irina vai estar envolvida na dinamização da Agricultura Biológica europeia, em livrar a Europa agrícola (e se possível o resto do planeta) dos Organismos Geneticamente Modificados, e noutras actividades de protecção do ambiente e da saúde que, penso eu, numa sociedade 'normal' não precisariam de ter organizações especiais só para as levar a cabo. Mas adiante que isso são outras histórias.
Eu já conheço a Irina há..milénios. Nem sei quem decidiu primeiro que ia ser bióloga. Ou que ia mudar o Mundo. Mas toda a gente esteve sempre de acordo em que éramos as duas material destinado a professor de secundário, principalmente quando entrámos para Biologia (em universidades diferentes). E quando insistimos, também em alturas diferentes, em levar a vida na direcção da Agricultura Biológica, o consenso ainda se uniu mais: não estávamos destinadas à docência mas sim à pobreza.

A mim nunca me passou pela cabeça fazer outra coisa que não fosse aquilo que queria, se necessário com part-times pelo meio para arranjar fundos. Muita gente nos acusou de não sermos realistas (leia-se totós), ou deram-nos um tratamento condescendente quando as nossas conversas iam para coisas mais globais (leia-se pensam que vão salvar as baleias) e não nos encaixávamos na indiferença cool dos outros da nossa idade. Nem vale a pena mencionar a atitude em relação ao nosso vegetarianismo, não é?

Eu não me arrependo nunca de ser quem eu sou. Tenho a certeza que a Irina também não. Sermos nós próprias, ainda por cima quando sentimos cá dentro que queremos fazer aquilo que está certo, não pode nunca levar a dúvidas. Arrependimento tem-se de não ter tentado.

Hoje a Irina foi para o umbigo da Europa fazer aquilo que gosta. Daqui a 20 dias, eu vou para Manchester fazer o meu doutoramento em biocontrolo de pragas (i.e. como usar bichinhos para dar cabo das pestes em vez de lhes espetarmos com químicos). Nem preciso de lhe desejar boa sorte, porque a sorte é para quem anda à deriva do destino, e a Irina sabe muito bem construir aquilo que quer à sua volta.

Balanço, depois de tantos aninhos... Baleias? Algumas, espero que a minha contribuição para a Greenpeace chegue ao destino. Professoras? Acho que é mais "alunas para toda a vida". Pobreza? Não me parece. De espírito, não de certeza :)

7 comentários:

zeca disse...

Que bom existirem pessoas como tu e a Irina! Seres com Sonhos Lindos, Sonhos "enormes"! Que bom existirem Seres que lutam pelos seus "Sonhos". Sonhos altruístas...
Seres que para além de sonharem fazem tudo para realizarem esses mesmos Sonhos.Seres que todos os dias contribuem para um MUNDO MELHOR! E com toda a certeza que este Mundo já está melhor por existirem pessoas como Vocês.

Um Abraço para vocês do Tamanho do Mundo

Isabel Mar disse...

És uma pessoa linda. O planeta fica muito mais azul com vocês ... e as baleias agradecem... as baleias, lobos, linces, e alguns humanos como eu lol :)

kaliandra disse...

Garotas que estão no caminho certo.
Quem sabe não nos encontramos nele?

Cris disse...

"O sonho comanda a vida", já o dizia o poeta e vocês mostram ser o exemplo vivo disso!

Desejo-te, igualmente, bons voos nessa nova etapa da tua vida e... continua sempre a seguir os teus sonhos, são eles que fazem com que valer valha realmente a pena!

Obrigada pela visita! Beijinhos :)

Cris disse...

Oops! No meu comentário anterior: "valer" deve ler-se "viver"! :)

Paty disse...

Olá,
Antes demais quero agradecer-te o comentario no meu planeta azul, gosto sempre de ter visitas...é como uma lafuda de ar fresco para esta cabecita as vezes algo xoxa!
Adorei o teu polegar verde, tão sensivel a questões tão importantes! Voltarei com toda a certeza...
Parabéns ;)

eco_bio_veg disse...

olá kiduxa, adorei o teu post. Fikei toda orgulhosa de mim própria :) lol E de ti tambem, claro. A propósito do k dizes sobre nao nos levarem a serio, também falei disso com os meus colegas. O Marco diz k nem conseguia arranjar namorada pq as miudas viravam-lhe as costas quando ele dizia estar a estudar agricultura biologica e a Lena diz q a família em peso gozou com ela anos a fio e lhe dizia para tirar um curso a serio. Mas agora qd dizemos q trabalhamos em Bruxelas, toda a gente fica impressionadissima e de repente ja somos uns excelentissimos senhores doutores a quem fazem venias se for caso disso. Algo mt errado se passa no mundo.