Frangos

...É isso que eu faço. Esqueçam o Bióloga.

...Nos últimos 3 meses tive gente a dizer-me que:
1) esperam que nenhum cêntimo dos seus impostos vá para me pagar porque aquilo que eu faço não é um trabalho a sério e não produz lucro (por uma licenciada em Português-Inglês):
2) afinal o que é que faz um biólogo? (por um farmacêutico);
3) se sou bióloga, então dou aulas no secundário, não é? (pela senhora onde fui arranjar as unhas)
4) quem quer emprego a sério tem que se mudar de área (pelos pais de um colega que acabou agora um projecto de 14 meses de investigação)

...Sem contar com todas as que já ouvi desde o 12º ano...

...De todas as vezes tenho-me limitado a explicar qual a minha área de investigação e a coisa fica por aí. Mas ontem achei que tinha atingido o meu limite. Fui fazer queixinhas à minha mãe pelo telefone e ela disse-me para contar até 10 antes de pôr plantas tóxicas da flora portuguesa na sopa dessas pessoas. Ia ter piada mas não passava disso. Também me disse que se eu não fosse bióloga, ela própria era capaz de não saber o que faz um biólogo. Que para a mente portuguesa (e suspeito que não só) um cientista ainda é uma coisa brilhante e inatingível que habita nos USA ou no Japão, e que é impossível que a pessoa que têm à sua frente o seja. Deve ser a bata...

...Na verdade o que me apetecia responder a essas pessoas é que alguém investigou quais as moléculas ideais para criar a sopa desidratada, alguém estudou a pata da osga para podermos ter super cola forte, alguém andou à volta de muitas aranhas para se desenvolver uma fibra de seda hiper resistente, e alguém nalgum ponto do espaço e do tempo estudou e experimentou com alguma coisa que deu origem às pílulas, aos guronsans, aos benurons, às tintas para o cabelo, aos cremes de noite e aos bifidus activo que consomem diariamente. E não foram os médicos que lhes escrevem as receitas. Foram biólogos, bioquímicos, engenheiros biotecnológicos.

...No fim da conversa a minha mãe disse-me para não me irritar com essas perguntas, principalmente quando já vêm com uma ponta de má intenção, responder simplesmente que o que eu faço é complicado demais para estar a explicar.

...As pessoas fora da área científico-tecnológica estão para os produtos da biologia como os putos da cidade estão para os frangos: acham que nascem nas prateleiras do supermercado. Por isso, a partir de agora quando me perguntarem, digo que é isso que faço: FRANGOS.

4 comentários:

someone disse...

Eu também acho que a investigação não serve para nada!(LOL) Não precisamos de água própria para consumo humano e muito menos optimizar métodos de tratamento da que poluímos, afinal 3/4 da Terra é agua e se não há nada a boiar e n tem cheiro é boa para beber! Não preciso de tomar qualquer fármaco que me pode salvar a vida e que levou anos a desenvolver! Não são necessárias energias alternativas porque há combustíveis fosseis para dar e para vender e o meu carro não poluiu quando esta desligado! Não preciso de novos materiais de construção de construção para manter a minha casa numa temperatura óptima de conforto porque o meu sonho sempre foi viver numa cabana! Não é necessário desenvolver novos métodos de detenção de contaminantes alimentares e provar que são nocivos para a saúde, porque se me sabem bem estão bons para comer e como de luz apagada para não ver os ingredientes e o prazo de validade que não deve passar de um mito! Podia continuar a expor o meu ponto de vista mas acho que já deu para perceber que sou contra a investigação!
****************S

Tárique disse...

Eu sou Engenheiro Aeroespacial. Imaginas as coisas que oiço? :D

anaeugenio disse...

:) viva. não sei se conheces esta iniciativa verde:
http://blogactionday.org/pt
o site tem links muito interessantes. a ideia é simples e original: incentivar o maior número de blogs a escrever no dia 15 de Outubro sobre ambiente. há mais de 10 mil inscritos :)) beijos de lua

Anita (a prima) disse...

hum .... "...pessoas fora da área científico-tecnológica..." parece-me um bocadito (só um bocadito) preconceituoso ...