boicote aos combustíveis/ ao comodismo?


Esta semana recebi 2 emails indignados a incitarem o boicote aos combustíveis "para que o estado assuma o seu papel na estabilização dos preços". Um dizia para irmos a todas as gasolineiras menos à GALP e à Shell, achavam que o melhor era só ir às bombas de gasolina nos hipermercados, e o outro apelava para uma concentração no Rossio no dia 18 de Maio.

Felizmente para quem escreveu estas asneiras, o email é uma forma de comunicação onde rapidamente se perde o rasto aos autores, porque eu gostava de lhes dar uma palavrinha pessoalmente. Boicote aos combustíveis? Boicotem mas é a preguiça...e andem 100 metros em vez de deixarem o carro à porta de casa. Ou usem mais os transportes públicos. Ou vão andar de bicicleta ao fim de semana em vez de guiarem para um centro comercial. E comprem produtos locais em vez de maçãs francesas e bananas do México. Desde quando o estado tem que subsidiar a preguicite aguda e a inconsciência?
Às vezes gostava de ver se este país apanhasse um ministro do ambiente que implementasse umas medidas à sueca, tipo pagar o lixo indiferenciado ao quilo quando se entrega, ter portagens caríssimas para incentivar o uso de transportes públicos e dar às bicicletas prioridade sobre tudo o que tenha rodas.
Eu sempre andei de transportes públicos e nunca deixei de ir onde queria por causa disso. E se tiver que comprar um carro, vai ser um destes:


Disponível através da GEMCar [link]
Cálculo dos gastos e emissões do vosso carro e comparação com um eléctrico: [link]

23 comentários:

Manuel Rocha disse...

Bem dito !

;)

Manuel Rocha disse...

Já foi às "cracas" ( será assim que se escreve??))? Ou teve preguiça ?
;)

caipiwoman disse...

sim sim... :)

esta diferente o teu blog... ta giro! :))

Rita disse...

manuel:) eu gosto de deixar as cracas quietas lá no seu sítio, já que não as como e não dão para bichos de estimação... :)

Manuel Rocha disse...

puf !!!
Que esquisita !!!
Dão-se mal com os gatos, por acaso ???

:))))

KALI, desesperadamente humana. disse...

Eu sempre prefiro ir andando, os outros meios so quando nao tem jeito mesmo.

1 Arvoresão + doque simplesramos disse...

Tens razão em dizer que as pessoas são preguiçosas em Portugal, por não pensarem no meio ambiente... mas os emails a boicotarem as gasolineiras com maior quota de mercado era uma idea...

podia resultar numa guerra de preços, porque a Shell,a BP, ou a Galp iriam perder quota de mercado, e isso seria mau pois a bolsa de valores iria fazer com que as accoes baixassem... e criar mais competicao

Em prencipio esta previsto o petroleo chegar aos 200 dolares este ano... normalmente o petroleo esta em menos de 100 dolares por barril...

Qualquer dia estas tu a querer ir de autocarro e estas a pagar 5 euros dentro de lisboa...

Rita disse...

1 Arvoresão + doque simplesramos:

Eu acho que as pessoas são preguiçosas e estão a dar como um bem adquirido algo que não o é. Não as culpo, porque cresceram nessas circunstãncias, mas hoje em dia ninguém pode alegar falta de informação.

Os impostos sobre combustíveis fósseis têm as mesmas razões de existir que os impostos sobre o tabaco: ambos são um bem muito procurado e que provoca gastos a nível governamental (custos de saúde no 1º caso, multas por incumprimento das metas ambientais em emissões no 2º). Fazer pressão sobre as gasolineiras ou sobre o estado não vai resolver nada porque estaríamos a "fazer birra" para nos deixarem poluir mais por um preço mais baixo. E em última análise, a gasolina nos hipermercados pode ser vendida sob outro nome mas acaba por vir das principais fontes, tal como as outras: garanto-te que o Carrefour não tem poços de petróleo.

Se eu for a Lisboa de autocarro ou comboio desde a casa dos meus pais pago 3,80 de bilhete de autocarro (1,75 de comboio)e demoro 45 min a chegar a Entrecampos. além disso vou sentadinha a ler um livro.

Se for de carro gasto cerca de 7,5€ de gasolina e demoro 30 min a chegar a Entrecampos mais 30 min a estacionar em Entrecampos mais 2 ou 3 € de parquímetro mais bilhetes de metro se quiser ir a outro lado qualquer (fica mais barato do que gastar gasolina no pára-arranca para deslocar o carro e ir pagar novamente parquímetros noutro lado).

Andar de transporte público pode ser um bocado incómodo ou demorado, mas é-o principalmente por causa da afluência de carros particulares que entopem as estradas.

Tárique disse...

Eu boicoto as gasolineiras. Sempre boicotei :).

tomé disse...

A preguiça das pessoas não é justificação para que o estado meta ao bolso 60% em impostos só para nos deslocarmos para o trabalho, e para que as gasolineiras aumentem brutalmente os seus lucros em cartel! Como em tudo quem paga mais essa factura é quem TRABALHA!

Antes de Portugal se comparar aos países mais desenvolvidos DO MUNDO tem que começar a imitar outras cosias. As portagens ficariam para o fim.

60% de impostos para quê? Para obras faraónicas umas atrás das outras?? Para cobrir o défice daqueles que realmente deviam pagar e não pagam??

É tudo isso que está em causa, a preguiça é outro assunto.

Os carros eléctricos são caros, "raros" e têm péssima autonomia. Onde se compra esse carro? Quanto custa? Quanto custa a manutenção? Onde se faz a manutenção? Vem com impermeável incluído?

Qual a duração, e para onde vão os produtos altamente tóxicos no final da vida útil das baterias??

Já agora, por falar em transportes públicos, chega a ser mais barato fazer Porto>Londres de avião do que Porto>Lisboa de combóio!

Rita disse...

o tomé está mal informado, ou então eu ando a viajar na companhia aérea errada: ir de Lisboa ao Porto custa 19 € em 2ª classe num intercidades (2:53 min) ou 16 € na rede expressos (3 hrs). A última vez que vi o bilhete de avião estava a 90 €, e 2hrs era APENAS o tempo que tínhamos que estar no aeroporto antes do vôo para fazer o check in. Além de que não se vai parar ao Porto, mas sim quase a Vila do Conde, e depois fazem-se mais 40 min de metro para chegar ao Porto (1,40€).
Conheço pessoas com scooters eléctricas, que se podem comprar a partir de 200 € no nosso país - é como em tudo, tomé, quem tem boa vontade para procurar, encontra. O tomé encontrou uma data de argumentos para ir contra o aumento da gasolina. Lá saberá porque é que tem tanto empenho nisso.

Helena Tapadinhas disse...

Pois este debate inspira-me algumas considerações sobre o principio da necessidade.
Vou cogitar sobre ele e depois cedo-lhe os direitos, Rita. É a minha forma de contribuir para o crescimento da salsa e proliferação de joaninhas na sua varanda ....:)))

tomé disse...

Repito - "chega" a ser mais barato. Londres>Porto na Ryanair com antecedência, check in online, bagagem de mão, "chega" a custar 30€ (taxas incluídas). Alfa Pendular 27,50€ a 39,50€! Foi apenas uma comparação que me ocorreu. Poderia ter-me ocorrido que duas pessoas Évora>Lisboa pagam mais de comboio do que partilhando um carro.

Ando de bicicleta, de autocarro de metro, de comboio. De momento nem sequer tenho carro. O que não significa que não me revolte contra o preço dos combustíveis porque o seu continuado aumento afecta o preço dos pneus de bicicleta, dos bilhetes de autocarro, de metro e de comboio, do pão e da água...

Não preciso de encontrar argumentos porque eles são evidentes. As gasolineiras continuam a encher os bolsos, o estado a tapar buracos da forma mais fácil (sem incomodar os lobbies do costume). Na verdade, quanto mais cara estiver a gasolina mais os fundamentalistas do ambiente lucram com o assunto.

Por favor diga-me onde posso comprar uma scooter eléctrica por 200€ que encomendo já.

Rita disse...

e o rabo lavado com àgua de malvas, não quer também? não tem dedinhos para procurar na net?
fica aqui um site para poder dizer mal à vontade: http://www.trotibikes.web.pt/
lamento mas não têm ar condicionado nem garrafeira (mas pode estacioná-las ao lado da cama!)

tomé disse...

Confesso que enquanto artista vou considerar seriamente a aquisição de uma preciosidade dessas. Iria concerteza marcar pontos de irreverência.

Quanto a água de malvas, não soa mal de todo.

coutorui disse...

Bem estas teorias de que somos preguiçosos são muito boas quando não se tem a percepção de todas as realidades.
Para quem vive nas cidades é muito bonito falar em transportes públicos porque eles estão perto de casa. Mas quando os transportes estão longe, demoram uma hora e meia a chegar ao destino e aparecem de hora em hora ai as opções não são muitas. Nem toda a gente vive nas cidades e ainda bem. O que estes aumentos estão a provocar a longo prazo é a uma desertificação do interior concentrando-se toda a gente nas cidades à procura do já escasso emprego.
A Suécia aplica as taxas elevadas para incentivar os transportes públicos porque tem uma rede de transporte que serve as necessidades das populações.
Por isso na minha opinião não devemos chamar a todos os portugueses preguiçosos.

Rita disse...

coutorui: eu não chamei a todos os portugueses preguiçosos, só àqueles que andam a mandar postas de pescada para se boicotarem as gasolineiras, em que parte é que não fui clara? e estou bem familiarizada com os seus exemplos: estudei em lisboa vivendo a 40 km de distância (1 hr de transporte para cada lado) e actualmente vivo em angra do heroísmo (se lhe quer chamar cidade tipo "metrópole", então força:)

Ares, Filho de Zeus disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
GPAIS disse...

O problema deste grande seleuma do aumento do valor dos combustíveis é a excessiva dependência do automóvel! É tudo uma questão de hábito. Sempre se viveu sem carro, sem telemóvel, sem TVcabo, etc. e hoje parece quase impossível viver sem isto e não "parecer" evoluido. ENGANEM-SE senhores. Viver sem dependência do carro, e outros bens referidos pode e deve ser considerado evolução. Tomem como exemplo os países nórdicos. Eu próprio era dependente disso tudo e posso dizer q me libertei! É quase como que uma doença, acreditem! Nós ainda somos um país pobre ao nível europeu, mas somos o país com mais dependência do automóvel, com níveis de obesidade infantil de topo, com número de carro/pessoa e telemovel/pessoa elevadíssimo, a zona da Grande Lisboa é da Europa a que mais AEs tem.....a aposta foi feita no "cavalo" errado (estradas, carros, suburbios) e não no correcto (comboio, planeamento, etc.). O petróleo e a gasolina vai subir e quem seguiu o dito "progresso" vai acabar por pagar uma factura alta... Isto só muda com o quarto "R": REPENSAR!
Mundando aos poucos os hábitos chegaremos a um ponto em que vamos ver o q errámos no passado. Eu vou casa/trabalho de bicicleta, levo o puto pelo caminho à escola e na vinda ainda trago pão e compras. E faço-o com uma serenidade, há anos atrás, impossível! E com a bicicleta de 14 anos que tenho! mantenho o carro para outras necessidades, que aos poucos deixam de ser. Não sou contra o automóvel, mas sim à utilização que se faz dele. Como já li por aí: "Usar carro não é uma decisão pessoal como "beber chá ou café?", mas mais como "toco ou não bateria às 4 da manhã?"" (menos1carro.blogs.sapo.pt)
Fiquem bem e cumps para Angra!

Rita disse...

ehheeh pois é, dizem que o carro dá outra liberdade, mas a liberdade de viver sem ele ninguém nos tira;) cumps***

Peter disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.