La Dolce Vita

_ Para quem chegou à Ilha Terceira há exactamente uma semana, é estranho sentir que se vive aqui há imenso tempo. Mas foi assim que me comecei a sentir depois dos primeiros dias. A ilha e os respectivos habitantes vivem a um ritmo relaxado e tranquilo - até era crime levar uma vida alucinante e cheia de stress nesta paisagem - e o mais importante em todas as circunstâncias são as pessoas.



_Angra é uma cidade classificada como património histórico mundial, e para reduzir a circulação automóvel há autocarros gratuitos em toda a zona urbana. Há ecopontos pequeninos e discretos, um mercado municipal que parece uma aldeiazinha dentro de muros e dúzias de esplanadas para se apanhar sol.
_As lojas abrem de acordo com a hora local (9:30) mas fecham pela hora continental (18:00), por isso depois dessa hora acabou-se o consumismo e as alternativas são os passeios a pé, o centro cultural com cinema, a praia, os jardins municipais, os centros hípicos, o ginásio, o teatro ou os museus sempre com exposições itinerantes. Eu aderi imediatamente às caminhadas e passei a levantar-me às 6:40 para fazer 1:30 de marcha ao Monte do Brasil e com sorte dar um mergulho na praia. Às 8:30 está toda a gente de volta à sua casa e depois encontramo-nos às 9:00 para seguir para a Universidade. Aos fins de semana também há caminhadas mais longas (dia inteiro), organizadas pelos Montanheiros, que têm um museu com a colecção de minerais mais fantástica que já vi. Estes passeios são óptimos para se conhecer a ilha a pé, ver os pontos interessantes, as plantas e bichos raros, as furnas e as grutas, e têm o benefício de nos fazer aterrar na cama e dormir que nem um bebé mal chegamos a casa (depois de limpa a lama dos diversos sítios onde ela, muito inconvenientemente, se enfiou).

_Prometo detalhes sobre o panorama ambiental dos Açores brevemente... entretanto, não me vou esquecer que estou num grão de areia no meio do mar e vou continuar atenta às coisas verdes no geral:)


Monte do Brasil visto de Angra do Heroísmo





Angra do Heroísmo vista do Monte do Brasil




Caminhada organizada pelos Montanheiros na zona da Serreta (oeste)





Coisas que se encontram na estrada...




A minha rua!!




A fera de estimação do campus... dá pelo nome de Pantufa





5 comentários:

KALI, desesperadamente humana. disse...

Ja mudou-se novamente?
Eu continuo no UK.

caipiwoman disse...

tou a ver que te ambientaste rápido... com paisagens assim não é dificil! :)

beijinhos, e aproveita!

KALI, desesperadamente humana. disse...

Ainda fico por mais uns dois anos.
Boa sorte na nova ilha.
beijo

Manuel Rocha disse...

Não foi nesse Monte Brasil que em idos instalamos um "resort" para onde um tal de Mouzinho de Albuquerque enviou para "férias" um moçambicano a quem chamavam Cugunhanha ??

Rita disse...

manuel: não sei mas prometo k vou investigar!