resumo das férias

Recebi há pouco tempo queixas de colegas que vivem nos USA e dizem que é impossível tentar obter qualquer coisa da Europa durante Agosto, porque está tudo parado e fechado para férias. E quem é workaholic arrisca-se a ver o resultado do seu trabalho ser classificado como produto da silly season, portanto o melhor é mesmo fechar o tasco. Apesar disso, nada nos impede de deitar o olho a alguns assuntos mais hot. Lê-se tão bem o jornal na toalha de praia!

- Nota 20 para o Festival Andanças [link]!!! Aluguer de pratos, talheres e púcaros, ou pratos de verguinha com folhas de papel reciclado, autoclismos alimentados com a àgua dos duches, abundância de sítios para o pessoal lavar os próprios utensílios, detergentes amigos do ambiente, um ecoponto praticamente em cada pinheiro, disponibilidade de comida vegetariana como nunca se viu em Portugal, estampagem de t-shirts próprias em vez de venda, bookcrossing, tudo o que lhes foi possível para fugir ao desperdício e ao consumismo. Pessoal do Sudoeste, nem sabem como as nossas casas de banho cheiravam beeeeem:) Roam-se de inveja! Além da overdose cultural de música tradicional de vários pontos do mundo, para desenjoar dos top-pop. Fantástico!!!

- Os Catalães querem fazer da Catalunha uma Zona livre de Transgénicos. Razões para isso e info sobre como podemos apoiar os nuestros hermanos cuja língua é das mais parecidas ao Português em: http://www.somloquesembrem.org .Bora lá. Hay que tenerlos!

- Os Italianos do Nutrition Ecology International Center [link] lançaram uma petição online para acabar com os subsídios à pecuária e à pesca. Porquê? Porque estas actividades, em modo industrial, são altamente danosas para o ambiente e nem sequer são lucrativas para as empresas que as gerem. e porque para todos os efeitos, a FAO está farta de avisar que nos países industrializados se consome mais proteína animal do que é necessário - por exemplo, nos USA a Dose Diária Recomendada de proteína animal é de 44g para 1 adulto. Há hamburgueres no McDonalds com 100g. Como estas indústrias só se mantêm graças aos apoios do estado (que vêm directinhos do nosso bolso) e ao mesmo tempo também financiamos os sistemas nacionais de saúde, pode-se dizer que andamos a pagar para ficar doentes e a seguir nos curarem. Mais info aqui: [link]
- A Pure Portugal Ltd [link] vai doar 500 € para a plantação de árvores em Portugal, mas só se outras 50 pessoas doarem 10 € cada. Parece-me muito barato dar 10€ por algo que vai suplantar a nossa esperança de vida e continuar por aí depois de sermos pó. Se pudesse também dava 500€, mas tenho que ficar no grupo dos que dão 10. Mais info em www.ecolivingportugal.org e em http://www.pledgebank.com/ecoliving. Será que posso escolher a àrvore?:)

- Também em Portugal, continua a petição pela Linha do Tua, promovida pelo MCLT – Movimento Cívico pela Linha do Tua [link]. Portugal tem a sorte de ainda conseguir subsistir sem centrais nucleares, em parte graças ao aproveitamento da energia hidráulica dos rios. Apesar da energia gerada pelas barragens ser das mais 'limpas', às vezes há mais factores a ponderar antes de se começarem a bloquear os rios que nem um bando de castores hiperactivos. Por exemplo: é mais razoável produzir electricidade para as necessidades de X pessoas ou investir em ensinar essas X pessoas a viver sem precisarem de tanta energia? Conheçam as razões do MCLT no site deles e visitem a petição aqui: [link]

- Em Gent, na Bélgica, o excelentíssimo Dr. Pachauri , presidente do Intergovernmental Panel on Climate Change (o IPCC - aquele bando de cientistas que dividiram o Nobel da Paz com o Al Gore) deu uma palestra onde apelou à diminuição do consumo de carne e lembrou que a produção pecuária é responsável por 18% das emissões dos gases com efeito de estufa e que são necessários 15 000 L de água para produzir 1 kg de carne comestível. [vídeo]

- 240 ha do Parque do Alqueva, onde vivem 6 484 azinheiras e os seres que dependem delas foram considerados de menor utilidade pública do que um empreendimento turístico da responsabilidade do grupo Roquette. Por isso, vão ser suprimidos desta dimensão da existência. Em compensação, o grupo Roquette terá que garantir a plantação de "21 700 azinheiras em sede de beneficiação de mil hectares por adensamento dentro do Parque Alqueva e de seis mil azinheiras em sede de arborização de outros 100 hectares" (cit. despacho governamental que deu a autorização). A Quercus já bateu o pé [link]. Este Verão, não abandone a sua árvore...

De resto, nós por cá tudo bem. A ilha continua no sítio, mais grau menos grau...

2 comentários:

Mª Luísa disse...

tenho que tentar ser mais verde...tentar já é bom :)informar-me...sei que há vida para além das fronteiras da ILHA...qto ao mais grau menos grau...humm...onde é que eu já ouvi isso...

Si disse...

Olá Rita,
já nao me lembro como vim parar ao teu blog, mas foi uma óptima descoberta!
Já reencaminhei a petição da linha do Tua para todos os meus amigos e conhecidos (os meus avós usavam-na muito!), assim como a iniciativa para plantar árvores. Espero que mais pessoas adiram - é um projecto giro e é pena que não seja muito publicitado... 50 pessoas é "nada" - espero que apareçam!
bjnhs e obrigada por tudo o que aqui partilhas!
Sílvia